• Gabriela Ries

Canalizações de Maria Madalena - 1.o e 2.o dia

Maria Madalena Canalização – Trabalho canalizado quando realizava a Vivência de Luciana Pinheiro – “Semana Santa sob um novo olhar” – 2021 - Por Gabriela Ries


Ao Longo da semana vou colocando as canalizações. Seguem os dois primeiros dias.


Madalena Dia 1

Eu também sofri como você. No meu olhar tem serenidade e sofrimento ao mesmo tempo. Existe um mistério, uma profundidade. Eu te olho na alma, eu vejo dentro de você a loucura, a dor, a vontade de se liberta, mas a maior Liberdade está dentro de você.

Existe a melancolia, uma solidão enorme, eu sei, e chega a ser devastadora que corrompe a alma, mas é nesse contato que se encontra a leveza e a paz. O choro não pode ser escondido, mas não pode te contaminar. Vá para além do Choro mimado e derreta as gélidas barreiras do seu coração. Veja que o início de algo, de um processo também tem um final. As respostas todas estão dentro de você. Olhe com dois olhos, os de dor e os de serenidade... Os olhos que enxergam a verdade e não a ilusão, de que nada é só luz ou sombra, que uma coisa depende da outra. Tudo que acontece na sua vida vai depender do seu ponto de vista: o que você quer plantar? Como vai quebrar seus ovos? o que nascerá desse ovo? Fertilidade? O que vem primeiro? Tudo é o princípio e o fim o universo, tudo que acontece está ao seu alcance, na Palma de suas mãos. A célula primordial da criação também mora com você.

O que você quer criar? O que você quer ver sendo criado na sua vida?

Qual o olhar que você dará a partir de agora para os seus processos?

Silencie no olhar, esse é um momento de observar para fertilizar sementes de luz em você.

O sofrimento faz parte. Os sofrimentos me fizeram crescer. A dor chegou a me consumir, mas ao me entregar para o amor sem esperar nada, o olhar mudou. As marcas da dor fazem parte de mim. A cada dia que eu me olhava, eu me lembrava de onde eu vim e pelo que passei para meu Ego não me consumi. Mas é escolha sua ficar enxergando sua dor ou pior. Abra seus olhos para o que você já tem e não para o que você não tem.


Madalena dia 2

Se entregue, deixa a paz surgir do inconsciente, desse oceano de emoções que tanto se esconde nas Profundezas da sua alma. Eu precisei ser refletida pela luz do sol, a luz Dele. Com minha luz refletida pude enxergar o desejo pelo deleite. Eu então deixei-me entregar na paz sem culpa... ficaria deitada no vazio até ser preenchida pelo Espírito do amor Santo. Para isso, eu precisei ficar ao lado oculto da lua, precisei de entrega profunda e de renúncia, precisei me tornar uma com os meus ciclos.

Aceitar minha natureza de Fases, minha humanidade. Aceitar minha materialidade foi a coisa mais espiritual que eu já fiz, só assim pude me entregar. Talvez você possa se entregar para resistência e então deixe-se beijar pelo pássaro branco da Aurora da lua que brilha.

Foi nas profundezas que fui verdadeira comigo e trouxe à superfície a consciência. Eis eu agora olhando para o mundo para Além Mar. Precisei abdicar, renunciar em nome do meu amor à verdade. Nesse alto mar, alto penhasco não há solidão, pois aqui eu vejo tudo: o mundo, a terra, a água e os anjos . Vejo a mim e à você. Não me sinto só, o vejo e ele me vê com os olhos da alma.


Ao final dessas canalizações, proponho que você feche seus olhos, respire fundo por alguns instantes e sinta a emanação dessa vibração em você. O que essas canalizações provocaram em você? Como você se sentiu? Compartilhe comigo sua experiência. Compartilhe com quem quiser! Amém!



49 visualizações0 comentário